TEATRO, LITERATURA, MÚSICA E MULTIMÉDIA
Cultura Portuguesa, Lusofonia
e Identidade Europeia

ÉTER – 12 ANOS EM CENA

A ÉTER é uma estrutura artística que cruza Teatro, Literatura, Música e Multimédia em
espaços patrimoniais e salas convencionais,
tendo como principal inspiração estética a História e Cultura portuguesas, a Lusofonia e a Identidade Europeia, promovendo a
compreensão de obras, episódios ou
personalidades importantes na nossa História e Cultura.

Em 2019 a ÉTER celebra 12 anos desde a
estreia do espetáculo “Memorial do
Convento”, de José Saramago, no Palácio
Nacional de Mafra.

Espetáculos ÉTER:
Memorial do Convento, de José Saramago,
tendo assistido ao espetáculo milhares de estudantes, professores, público em geral, nacional e estrangeiro. Uma adaptação ao espaço da Fundação José Saramago permitiu a apresentação do espetáculo entre 2013 e 2017.
Europa, Europa! explora esteticamente o atual estado civilizacional da Europa com base na unidade dramatúrgica do mito grego dos 12 Trabalhos de Hércules, apresentado na Quinta da Ribafria, Sintra, 2016 e no paço do Palácio Nacional de Sintra, 2017. Vieira – o Céu na Terra, entre 2008 e 2017, apresentado
nas Ruínas do Carmo, em Belém do Pará,
Brasil, na Guiné-Bissau e no Museu Nacional do Teatro. Navegar – Camões, Pessoa e o V
Império, Mosteiro dos Jerónimos, Festival Books&Movies – Alcobaça e Palácio Nacional
de Sintra, entre 2012 e 2018. Frei Luís de
Sousa, Panteão Nacional, 2013/14.
Liberdade, liberdade!, uma homenagem aos presos políticos durante o Estado Novo,
apresentado em Lisboa, Sintra, Macau, Bissau e no Palácio Nacional de Mafra. Garden Party na Regaleira, apresentado na Quinta da
Regaleira, 2018.

 

ÉTER E ONGD ÚNICA

Nasce em 2014 a parceria entre a ÉTER e a ONGD ÚNICA – Mixing Cultures. O Projeto de Educação para o Desenvolvimento cria
parcerias e pontes entre pessoas e instituições de Portugal e Guiné Bissau, contribuindo para o apoio humanitário em jardins de infância na Guiné Bissau e para a sensibilização de jovens portugueses para as problemáticas dos países em vias de desenvolvimento. A ÚNICA tem uma relação de protocolo com 28 jardins de infância de Bissau, abrangendo um universo de 5000 crianças.

Entre as várias ações destacam-se: Serviço de emergência, administração de paracetamol a crianças vítimas de paludismo; caixas de primeiros socorros; entrega de livros, materiais escolares, brinquedos e roupas angariados por escolas portuguesas do ensino secundário; formação de educadores de infância – expressão dramática, música, suporte básico de vida, meditação; serviço de apadrinhamento, manter crianças órfãs na escola.

O ANO DA MORTE
DE RICARDO REIS
de José Saramago

Palácio Nacional de Mafra
1º, 2º e 3º Períodos
Reservas > etercultural.com

Fundação José Saramago
2º e 3º Períodos
Reservas > 218 802 040

No espetáculo “O Ano da Morte de Ricardo Reis” tem lugar de destaque a personagem Saramago, ora como autor, ora como
narrador. Neste sentido, evidencia-se como ficção sobre ficção sobre ficção: ficção de Saramago sobre Ricardo Reis, este por sua vez um ser de ficção construído por Pessoa. O que pensará Saramago sobre Ricardo Reis?
Um labirinto de palavras, imagens e representações que espelham Portugal entre a primeira e a segunda guerras mundiais, bem como a visão de José Saramago sobre Ricardo Reis.

ATIVIDADE COMPLEMENTAR
PERCURSO LITERÁRIO
“LISBOA, ONDE O MAR SE ACABOU
E A TERRA ESPERA”

Para os alunos que se queiram inscrever, o
espetáculo será complementado por uma
visita à Baixa de Lisboa representada no
romance, com a duração de cerca de duas horas e início na Fundação José Saramago.
Reservas > 218 802 040

OS MAIAS
de Eça de Queirós

Centro Cultural Olga Cadaval
2º e 3º Períodos
Reservas > 219 244 772

Uma nova versão dramatúrgica de “Os Maias”, de Eça de Queirós, retrato realista de uma Lisboa decadente e de uma Sintra romântica, através da contracena de vinte personagens em palco e em filme e da relação estética harmoniosa entre o espaço cénico, o vídeo, as luzes e a música original.

AS MÁSCARAS
DE PESSOA
de Filomena Oliveira
e Miguel Real

Mosteiro dos Jerónimos
2º e 3º Períodos
Reservas > etercultural.com

Em “As Máscaras de Pessoa” dialogam e confrontam-se os heterónimos Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis e o semi-heterónimo Bernardo Soares em torno da vida e da realidade do seu autor, Fernando Pessoa. Este, morto, convoca, em 13 de Junho de 1936, as quatro personalidades fictícias de que é autor para a comemoração dos seus 48 anos. Eles, conversando sobre si e sobre a relação com o seu “Pai”, aguardam que Pessoa se lhes junte… Virá Pessoa, transformado num ser de papel idêntico aos que criara?

OS LUSÍADAS
de Luís de Camões

Mosteiro dos Jerónimos
2º e 3º Períodos
Reservas > etercultural.com

A dramaturgia de “Os Lusíadas”, de Filomena Oliveira e Miguel Real, adaptada ao programa do 9º e 10º ano de escolaridade da disciplina de Português, cruza os cantos do poema e a viagem de Vasco da Gama com episódios da existência de Camões e alguns dos seus mais líricos sonetos, num espetáculo de contracena
harmoniosa entre os atores, a música, as imagens vídeo e o espaço monumental dos Jerónimos.

EUROPA, ÉS UM PARAÍSO!
Instalação Multimédia de
Homenagem aos Refugiados

Homenagem aos refugiados que tentam atravessar o Mediterrâneo com a visão de uma Europa paradisíaca e de uma sociedade harmoniosa, a terra prometida, a salvação! Desta forma também se promove a sensibilidade para a temática do Apoio ao Desenvolvimento junto dos estudantes do ensino secundário, informando o público sobre o importante trabalho das ONG nos Países em Vias de Desenvolvimento, estimulando a sua participação e contribuindo com informações de referência, integradas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que a ONU lança para Transformar o Mundo até 2030. A Instalação Multimédia oferece ao visitante uma experiência baseada na atmosfera característica da Guiné-Bissau, revelando a sua beleza natural, calor humano, exuberância das cores, pulsar da música e diversidade cultural. Som, vídeo, luz, cenografia e fotografia, podem ser manipulados pelos visitantes através de sensores que produzem efeitos a partir do seu movimento.

Será a Europa um paraíso para o público a que se destina a Instalação?

(Gratuito para o público no Palácio Nacional de Mafra e Centro Cultural Olga Cadaval.)

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

TEXTOS E DRAMATURGIA:
Filomena Oliveira e Miguel Real
DIREÇÃO ARTÍSTICA E ENCENAÇÃO:
Filomena Oliveira
MÚSICA E ORGÂNICA SONORA: David Martins
INTERPRETAÇÃO: António Mortágua, Carlos Medeiros, Cláudia Faria, Diogo Andrade, Filipe Araújo, Hugo Bettencourt, João de Brito, João Cabral, João Mais, Leonor Cabral, Miguel Mendes, Miguel Simões, Paulo Campos dos Reis, Paulo Cintrão, Pedro Luzindro, Pedro Oliveira, Ricardo Soares, Rita Fernandes, Rogério Jacques, Rute Lizardo, Sara Rio Frio, Sérgio Moura Afonso, Suzana Branco.
OPERAÇÃO TÉCNICA: Barnabé Freixo, José Ricardo, Nuno Gomes, Pedro Florentino.
COLABORAÇÕES:
VOZ: Andreia João, Ilesa Martins, Barnabé Freixo, Tito Ribeiro. PIANO: Sandra Nunes. VIDEO: Barnabé Freixo, Edgar de Oliveira, Nuno Duarte, Nuno Gomes.
MULTIMÉDIA: David Martins, José Ricardo.
ILUSTRAÇÕES: Luís Lázaro.
FOTOGRAFIA (neste programa): Filipa Vieira, Luís Cabral, João Mota, Teresa Lamy.
DESIGN GRÁFICO: Cláudia Faria.
GUARDA-ROUPA: ÉTER, Câmara dos Ofícios, Museu Nacional do Teatro e da Dança (Olga Monteiro).
APOIO CENOGRÁFICO: Ricardo Assis Rosa.
MONTAGENS: Pedro Florentino, Vito Fernandez
FRENTE DE SALA: Inês de Oliveira, Joana Miranda.
COMUNICAÇÃO: Cláudia Faria.
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO: David Martins.
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Maria Barracosa.