Banner-Identidade

Identidade

A ÉTER – Produções Culturais – Associação dedica-se à criação e produção artísticas nas áreas do Teatro, Literatura, Música e Instalações Multimédia. Tendo como principal tema de pesquisa a Cultura Portuguesa, a Lusofonia e a Identidade Europeia, a ÉTER aprofunda e desenvolve a relação entre o público, a linguagem artística e temas determinantes da História e da Cultura portuguesas à luz da atualidade.

Oferecendo espetáculos de qualidade estética, contribui ainda para a educação artística e cultural nos jovens promovendo a compreensão de obras, episódios ou personalidades importantes da nossa História e Cultura.

A ÉTER cria, produz e apresenta espetáculos em espaços patrimoniais e salas convencionais. Caracteriza-se por uma gestão que se baseia, quer na apresentação nacional desde 2007, com produções em cena a longo prazo, temporadas longas que se repetem ano após ano e públicos que se renovam, quer a nível internacional com espetáculos em comunidades ligadas à língua e à cultura portuguesas. A ÉTER proporciona ainda atividades paralelas aos espetáculos contextualizadas com os projetos, que divulgam os parceiros locais, criando assim vínculos culturais fortes nas comunidades em que se insere. A ÉTER apresenta as seguintes produções, que revelam e iluminam a história e a cultura portuguesa.

1 – Memorial do Convento​​​​​​​​​​, de José Saramago, no Palácio Nacional de Mafra – visto por mais de 100 000 pessoas, em cena desde 2007; itinerâncias: Penafiel, no âmbito da Escritaria; Claustros da Universidade de Évora, nas Comemorações dos 400 anos da Universidade; Theatro Circo de Braga “março mês do Teatro”; Centro Cultural Olga Cadaval.  Desde 2013 que está em cena na Fundação José Saramago, onde também esteve presente nas comemorações do aniversário do escritor. (Atividade paralela no PNM : Visita Guiada ao Palácio, sobre a temática da obra literária.)

​2 – Vieira – O Sonho do Império​​​​​​​​​​, de Miguel Real e Filomena Oliveira, no Museu Nacional do Teatro, em Lisboa – visto por mais de 5 000 pessoas, em cena desde 2008. Atividades paralelas: roteiro barroco, roteiro vieirino e jogo sobre a vida do Pe. António Vieira;

3 – Os Maias​​​​​​​​​​, de Eça de Queirós, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra – visto por mais de 19 000 pessoas, em cena desde 2009; itinerâncias: Theatro Circo de Braga “março mês do Teatro. (Atividade paralela: Maratona fotográfica e roteiro queirosiano.)

4 – Navegar – Camões, Pessoa e o V Império​​​​​​​​​​, de Filomena Oliveira e Miguel Real, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa – visto por 2 000 pessoas, em cena desde janeiro 2012. Atividade paralela: roteiro cultural “Lisboa de Camões e Pessoa” e texto de Miguel Real “Sobre Camões e Pessoa”;

5- Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, no Panteão Nacional, Lisboa – visto por mais de 2 000 pessoas, em cena desde Janeiro de 2013. Atividade Paralela: Sugestões de visitas complementares.

6 – Liberdade, liberdade!​​​​​​​​​​, de Filomena Oliveira e Miguel Real; itinerâncias: Teatro D. Pedro V, em Macau, no 25 de abril de 2011. Apresentação em Bissau, no Centro Cultural Francês, no Festival Kilombola e no 1º Forum da Escravatura em Cachéu, na Guiné Bissau, em 2013. Atividade paralela: conferências com o escritor Miguel Real sobre temas da cultura portuguesa.